QUEM SOMOS

Somos uma Emissora Católica da Diocese de Pemba com a missão de comunicar para promover a vida, a justiça, a paz e o amor na sociedade! Visamos ser voz e vez dos que não têm voz nem vez, levando o evangelho a todas as pessoas, de todos os tempos e lugares por meio da comunicação. A Rádio Sem Fronteiras está particularmente empenhada a seguir os ensinamentos e as orientações pastorais do Sumo Pontífice e do bispo local (o Magistério da Igreja), não se desenvolve baseada nos interesses e cálculos materiais mas, de acordo com os valores da fé.

Missão:

Comunicar para promover a vida, a justiça, a paz e o amor na sociedade!

Visão:

  • Ser voz e vez dos que não têm voz nem vez;
  • Levar o Evangelho a todas as pessoas, de todos os tempos e lugares por meio da comunicação;
  • Fazer da rádio um instrumento de comunicação para a nova Evangelização promovendo a pessoa humana integralmente.

Valores:

  • Eclesialidade;
  • Confiança na Divina Providência;
  • Missionariedade: Rádio Sem Fronteiras deve tentar chegar a toda a população nacional, com especial atenção aos chamados “últimos” da sociedade;
  • Espiritualidade: Rádio Sem Fronteiras deve alimentar com humildade e sacrifício, o desejo de ajudar a Igreja local e Universal no trabalho de salvar almas;
  • Voluntariado: Rádio Sem Fronteiras tem nos seus voluntários o seu autêntico coração pulsante.

Objectivos:

O objetivo do Projeto Rádio Sem Fronteiras é salvar almas, isto é, o anúncio do Reino dos Céus e o chamado à conversão através de estações de rádio e actividade editorial correlacionada que usa os princípios chamados “Princípios Orientadores”.

Organização jurídica:

Para proteger os objectivos da RSF, os estatutos e regulamentos, são baseados num modelo estatutário fornecido pela Diocese de Pemba, que concederá aprovação final do bispo diocesano;

Toda modificação estatutária subsequente sempre deve ser de acordo com os Princípios Orientadores do Projeto Rádio Sem Fronteiras e será submetida a Comissão Diocesana de Comunicação, através de um representante especificamente designado, para garantir congruência;

Deve ser submetida a vigilância doutrinária dos ensinamentos da Igreja Católica, ser fiel as directrizes do Santo Padre e considerar toda actividade editorial como um instrumento a serviço da Igreja, mantendo plena comunhão com as Autoridades eclesiásticas competentes, e também a sua autonomia jurídica e administrativa;

Deve estar aberta a todos os grupos da Igreja, submetidos a vigilância doutrinária dos ensinamentos da Igreja Católica, sem dar preferência a nenhum;

Deve ter um Director responsável pelo conteúdo de toda parte editorial e pelos conteúdos teológicos dos programas. O Director deverá ser nomeado pelo bispo diocesano;

Garantir o fluxo correcto de entradas e saídas e o uso transparente de doações através  de uma administração de gestão das actividades eficiente, competente e escrupulosa, assumindo a responsabilidade  de prover uma auditoria anual da administração por uma organização externa especializada em auditoria e em seguida, remeter a cada ano o relatório financeiro e o orçamento para a administração da RSF;

Criar o carisma espiritual particular das actividades radiofónicas e editoriais excluindo absolutamente o uso de qualquer propaganda comercial ou patrocínio que compromete a linha editorial;

Ajudar no desenvolvimento do Projecto como expressão de sua natureza missionária, e na criação de novos pontos da Rádios Sem Fronteiras na província de Cabo Delgado, distribuindo materiais e serviços com estas finalidades, para estes fins funcionais, e como cooperação de pessoas que serão voluntários em outras rádios, durante um determinado intervalo de tempo;

Utilizar voluntários para apoiar o trabalho dos administradores em suas actividades;

Planejar sistemático e estrategicamente trabalhos promocionais, produzindo materiais adequados para este fim e organizando com competência o desenvolvimento de uma ampla rede de voluntários externos espalhados por toda a área coberta pelo sinal da rádio.